Notícias

historia-de-santa-catarina-de-sena_10_4286.jpg

30 de abril de 2021

História de Santa Catarina de Sena

Catarina Benincasa nasceu no dia 25 de março de 1347, na cidade de Sena/Itália. Na infância, percebeu que as pessoas adultas e as demais crianças ao seu redor estavam preocupadas com coisas pelas quais ela não tinha o menor interesse. Algum tempo depois, Catarina entendeu que essas coisas eram o que a Bíblia chamava de “o mundo”. Seu mundo era o mundo das coisas divinas.


Aos seis anos de idade, Catarina teve uma visão que transformaria completamente sua vida: nela, Nosso Senhor Jesus Cristo apareceu com roupas de bispo e sentado em um trono de Rei. Ao Seu lado estavam os apóstolos São Pedro, São Paulo e São João Evangelista. Jesus sorriu amavelmente para ela, levantou Sua mão e a abençoou com o sinal da cruz.


Aos 19 anos, depois de uma séria doença e muitas dificuldades com sua família, Catarina entrou para a Ordem Terceira de São Domingos como uma das Irmãs de Penitência. Mulheres casadas e viúvas de todas as classes sociais pertenciam a essa congregação, que tinha seu ponto de encontro na Igreja de São Domingos, em Sena.
Catarina recebeu graças, dons e visões extraordinárias. Recebeu também os estigmas de Cristo em seu corpo. Em outra visita, Jesus Cristo pediu para que ela escolhesse qual coroa queria utilizar nesse mundo, a de ouro ou a de espinhos. A jovem escolheu a coroa de espinhos.
Catarina lia as almas das pessoas com uma clareza impressionante. Sabia que às vezes deveria utilizar palavras duras e firmes. Em outras situações, era mais apropriada uma ternura maternal para acolher a alma que vinha ao seu encontro. Sem saber escrever, ela foi escolhida para agir e falar como embaixadora de Cristo a seus contemporâneos. Enviou muitas cartas de aconselhamentos e direções a reis, príncipes, cardeais e papas.


Deus reservou à jovem de Sena uma missão grandiosa: trazer o Papa de volta à Roma, sua verdadeira casa. Desde o início do século XIV, os papas se encontravam exilados em Avignon, na França, por questões políticas e muitos tentaram convencer os papas a deixar a França, sem sucesso. Catarina enviou diversas cartas aos papas e foi pessoalmente até Avignon para pedir que o Papa Gregório XI retornasse à Roma e que assumisse suas responsabilidades como líder da Igreja. No dia 17 de janeiro de 1377, o Papa Gregório XI entrou em Roma, aclamado com júbilo extraordinário da população.

Além disso, Catarina também viveu no período da Peste Negra, que vitimou 1/3 dos habitantes de Sena. Incansável, Catarina ia de hospital em hospital para cuidar dos doentes, rezar por eles, consolá-los, lavar e vestir os corpos para o enterro. Ela jamais desistiu de cuidar daquelas almas, mesmo em situação tão terrível e assustadora.

Catarina faleceu no dia 29 de abril de 1380, aos 33 anos, na cidade de Roma. Foi canonizada pelo Papa Pio II em 1461. Desde então, ela se tornou Santa Catarina de Sena para toda a Igreja. Em 3 de outubro de 1970, o Papa Paulo VI proclamou-a Doutora da Igreja por conta de sua grandeza espiritual e doutrinal. Santa Catarina de Sena é co-padroeira de Roma, da Itália e da Europa.
Santa Catarina de Sena, rogai por nós!


Por Letícia de Siqueira

 

PUBLICADO POR: Pastoral da Comunicação
CATEGORIAS: Geral

Cookies: a gente guarda estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação, saiba mais em nossa política de privacidade.
Entendi e Fechar