Pesquisar no site
Histórico
A idéia de erigir um monumento a Nossa Senhora, num dos morros de Garibaldi, nasceu no Ano Santo de 1950. Promulgado pelo Papa Pio XII, o Ano Santo tinha como lema Grande Retorno e Perdão. A Europa vivia a crise posterior à II Guerra Mundial e o início da chamada Guerra Fria, entre Estados Unidos e Rússia, que criava intransponíveis fronteiras entre os povos

Naquele ano Pio XII promulgou o dogma da Assunção de Maria ao Céu. Ainda dentro do contexto mariano, 1954 assinalaria o primeiro século de outro dogma mariano: Imaculada Conceição, promulgado pelo Papa Pio IX em 1854.

A idéia foi acolhida com entusiasmo pela população e o Frei Marcelo Bianchi coordenou a iniciativa. Foi escolhido o morro ao lado poente da cidade. Chegou-se ao consenso que a Ermida - assim começou a ser denominada - seria dedicada Nossa Senhora de Fátima, devoção que os Frades gaúchos trouxeram de Portugal após terem refundado a Província capuchinha naquele País. O povo chamava de Nossa Senhora das Pombinhas, popularizada pelo missionário garibaldense Frei Bernadino de Vilas Boas.

Feita a terraplenagem, a pedra fundamental foi lançada no dia 27 de setembro de 1953 e a Ermida foi festivamente inaugurada no dia 27 de dezembro naquele ano. O engenheiro Plínio Tota foi responsável pela obra. A comunidade católica, sob todas as formas, empenhou-se no projeto, que contou também com o apoio da municipalidade, através do prefeito Dante Grossi.

O primeiro sinal de Maria aconteceu no mesmo dia da inauguração. A região enfrentava prolongada seca. De manhã foi celebrada a Missa inaugural e já na tarde daquele dia chegou abençoada chuva.